fbpx

Entenda por que nem toda Tendência vira Moda


110
1 compartilhada, 110 points

Sempre que falamos sobre tendência, precisamos levar em consideração que tendência é algo macro e algo que as pessoas poderão ou não usar.

Quem lança tendências são as marcas de luxo mundiais em uma semana de alta-costura ou em uma semana pret-à-porter. Grifes como Chanel, Dior e Gucci, por exemplo, lançam suas tendências nessas semanas de moda e isso pode ou não cair no gosto popular. No momento em que isso cai no gosto popular, já não é mais uma tendência, se torna uma moda que as pessoa estão de fato usando.

Maximus Tecidos tendência Clube da Costureira 600x300
Foto: Pinterest

Por exemplo, o tie dye se tornou uma febre agora, no entanto demorou um pouco para ele se tornar moda. Talvez demorou em torno de uns 2 anos para isso cair realmente no gosto popular e hoje você encontra um conjuntinho ou uma blusinha em qualquer lojinha da cidade. Sendo assim o tie dye já não é mais uma tendência, agora é moda. É o famoso “tá na moda” que a gente gosta de dizer.

Maximus Tecidos tendência Clube da Costureira 600x300
Desfile da grife Stella McCartney em 2018 / Foto: Pinterest

Pelo fato de tendência ser algo macro, ela não é o principal fator de análise na hora de escolher os tecidos para vender. Existem vários outros fatores que são levados em consideração primeiro. Por exemplo, se no momento em que a Dior lança uma coleção com tecidos muito trabalhados e mais conceituais lá na Europa, e aqui no Brasil a gente estiver vivendo uma fase mais clean de vestidos lisos e sem muita informação, essa tendência de tecidos mais trabalhados vai demorar de 1 a 2 anos para chegar por aqui.

No caso da Maximus Tecidos que trabalha com revenda, primeiro esses tecidos tendência precisam chegar para os fornecedores para daí conseguirmos comprar através dos representantes. Então se no mês passado teve uma semana de moda, nós não teremos as tendências disponíveis na loja já no mês seguinte para os clientes conseguirem comprar.

Esse processo é assim em qualquer loja do Brasil, porque 90% dos tecidos vêm da China. O prazo de produção dos tecidos até a finalização para exportação, é demorado.

Maximus Tecidos tendência Clube da Costureira 600x300
Foto: Freepik

Mesmo quando a gente pensa em marcas brasileiras muitos famosas, como uma marca que eu gosto muito que é a byNV, uma empresa super conceitual aqui no Brasil que está no mercado há quase 10 anos, as tendências das marcas mundiais não chegam tão rápido. Essas marcas também tem toda a questão de logística para conseguir matéria-prima, consequentemente, gera um delay para oferecer o produto final para os clientes.

Outro fator muito importante na hora de escolher os tecidos para revenda na loja é analisar a demanda: qual é o nosso perfil de cliente? Ele compra para qual finalidade?

No caso da Maximus Tecidos, o nosso perfil de consumidor são costureiras e elas compram para costurar para suas clientes. Dessa forma, não necessariamente elas estão interessadas no que a Chanel acabou de lançar como tendência em Paris. O nosso perfil de clientes está mais interessado naquilo que as pessoas estão usando e o que está na moda no momento.

É claro que também é importante estar de olho no que as marcas mundiais e nacionais estão lançando nos desfiles de Paris, Milão, Nova York, São Paulo Fashion Week e Minas Trend e analisar o que os fornecedores estão trazendo de novidade.

Há 2 anos eu já sabia que os tecidos tie dye estavam voltando a aparecer nas coleções internacionais, no entanto não foi quando o primeiro fornecedor apareceu com essa proposta que a gente comprou. Mas a partir do momento que começa a aparecer mais de um fornecedor com a tendência, é sinal de que a China está produzindo esse tipo de tecido, então tem grandes chances dessa tendência virar moda de fato.

Maximus Tecidos tendência Clube da Costureira 600x300
Foto: Pinterest

Não são só as lojas de tecidos que importam tecidos da China, a indústria de moda como um todo importa. Dessa forma, os mesmos tecidos que os nossos fornecedores estão trazendo para a nossa empresa, eles vão levar para indústrias de moda de todo o Brasil. A partir daí, marcas vão começar a lançar coleções com esses tecidos tendência e eles vão chegar ao mercado fast fashion.

Um exemplo muito legal de citar é a moda das mangas bufantes. Uma vez que as mangas bufantes começaram a aparecer de novo nas semanas de modas de alta-costura, levou mais de 2 anos para cair no gosto popular. Hoje em qualquer loja você encontra uma blusa de manga bufante.

Os tecidos usados para confeccionar peças de manga bufante são mais estruturados. Se naquela época que a tendência apareceu em uma coleção eu já tivesse feito uma compra enorme de tecidos estruturados, isso iria encalhar na minha empresa porque as pessoas não iriam querer comprar. Afinal, você não sai usando uma manga bufante sem ninguém estar usando também. Isso acontece principalmente quando a gente fala de elementos de moda mais ousados e diferentes, como a manga bufante e o tie dye.

Resumindo, o que uma marca de luxo lançar em um desfile não será necessariamente uma referência na compra de tecidos. Se essa tendência não virar moda por aqui ou se o meu cliente não se identificar com ela, não adianta eu investir porque não vai ter saída da mercadoria.

Gostou deste post? Então comenta aqui e compartilha nas suas redes socias 🙂

Você também pode conferir todas as novidades de tecidos no site da Maximus Tecidos aqui!

Confira também meu post sobre as 100 frases que te farão entender a verdadeira beleza do mundo da moda!


Gostou? Compartilhe com seus amigos!

110
1 compartilhada, 110 points

O que você achou desse post?

Não Gostei Não Gostei
0
Não Gostei
Confuso Confuso
2
Confuso
Engraçado Engraçado
4
Engraçado
Amei Amei
258
Amei
Incrível Incrível
49
Incrível
O Melhor O Melhor
10
O Melhor
Camila Nishida

Oi gente! Aqui quem fala é a Camila Nishida, apaixonada por moda, estilos e tendências que mantém a nossa identidade. Sou apresentadora do Canal da Maximus Tecidos Finos no YouTube, onde busco trazer a essência de cada tecido de um jeito único para que você aprenda cada vez mais sobre o universo têxtil. Psicóloga de formação, tive meu coraçãozinho arrebatado pelo Junior e pelo mundo da moda!

19 Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Bem esclarecedor o texto; só achei meio deselegante a citação “blusinha”, “conjuntinho” e “lojinha”, soou como desqualificação, acredito que não seria essa intenção;mas me passou essa informação. Apenas minha opinião. Obrigada pelo conteúdo.

Escolha um formato
Postagem
Compartilhe imagens com textos do seu trabalho.
Vídeo
Compartilhe o vídeo do seu trabalho.
Imagem
Compartilhe o recebimento do seu tecido ou suas criações.